1.9.05

A Trindade é um sincretismos de antigas crenças pagãs


A Trindade é uma adaptação da Religião Romana para sincretizar antigas crenças pagãs e com isto ganhar mais adeptos.
Considere a possibilidade dessa doutrina ser falsa. Pense bem, nem a palavra, nem a ideia de Trindade aparecem na Bíblia. Será que esse ensino não pode ser uma armadilha de Satanás, para que as pessoas difamem o santo Nome e a personalidade do Criador, mesmo sem querer?






Veja o que dizem historiadores, teólogos e enciclopédias sobre a Trindade:

The New Encyclopædia Britannica diz:
“Nem a palavra Trindade, nem a doutrina explícita, como tal, aparecem na Nova Aliança, e nem Yeshua o Ungido ou seus seguidores tencionaram contradizer o Shemah da Primeira Aliança: ‘Ouve, Yisra'el: O Eterno, nosso D'us, o Eterno é Um." (Deut. 6:4). . . . A doutrina desenvolveu-se gradualmente com o decorrer dos séculos, enfrentando muitas controvérsias. . . . Por volta do fim do 4.° século . . . a doutrina da Trindade tomou substancialmente a forma que desde então tem conservado.” — (1976), Micropædia, Vol. X, p. 126.

A New Catholic Encyclopedia diz:
“A formulação de ‘um só deus em três Pessoas’ não foi solidamente estabelecida, de certo não plenamente assimilada na vida judaico-cristã e na sua profissão de fé, antes do fim do 4.° século. Mas, é precisamente esta formulação que tem a primeira reivindicação ao título o dogma da Trindade. Entre os Pais Emissários, não havia nada, nem mesmo remotamente, que se aproximasse de tal mentalidade ou perspectiva.” — (1967), Vol. XIV, p. 299.

Em The Encyclopedia Americana lemos:
“O cristianismo derivou-se do judaísmo, e o judaísmo era estritamente unitário [cria que D'us é uma só pessoa]. O caminho que levou de Jerusalém a Nicéia dificilmente foi em linha reta. O trinitarismo do quarto século de forma alguma refletiu com exatidão o primitivo ensino cristão sobre a natureza de Deus; foi, ao contrário, um desvio deste ensinamento.” — (1956), Vol. XXVII, p. 294L.

Segundo o Nouveau Dictionnaire Universel:
“A trindade platônica, que em si é meramente um rearranjo de trindades mais antigas, que remontam aos povos anteriores, parece ser a trindade filosófica racional de atributos que deram origem às três hipóstases ou pessoas divinas, ensinadas pelas igrejas cristãs. . . . O conceito deste filósofo grego [Platão, do 4.° século AEC] sobre a trindade divina . . . pode ser encontrado em todas as religiões [pagãs] antigas.” — (Paris, 1865-1870), editado por M. Lachâtre, Vol. 2, p. 1467.O jesuíta John L. McKenzie, no seu Dictionary of the Bible, diz: “A trindade de pessoas dentro da unidade de natureza é definida em termos de ‘pessoa’ e de ‘natureza’, que são termos filosóficos [gregos]; na realidade, esses termos não aparecem na Bíblia. As definições trinitárias surgiram em resultado de longas controvérsias, em que estes termos e outros, tais como ‘essência’ e ‘substância’, foram erroneamente aplicados a Deus por alguns teólogos.” — (Nova Iorque, 1965), p. 899.





“Exegetas e teólogos hoje em dia concordam que a Bíblia hebraica não contém uma doutrina da Trindade . . . Embora a Bíblia hebraica retrate a D'us como o pai de Yisra'el e empregue personificações de D'us, tais como Palavra (davar), Espírito (ruah), Sabedoria (hokhmah) e Presença (shekhinah), relacionar estas noções com a posterior doutrina trinitarista seria ir além da intenção e do espírito da Primeira Aliança.
“Ademais, exegetas e teólogos concordam que a Nova Aliança tampouco contém uma explícita doutrina da Trindade. D'us, o Pai, é a fonte de tudo o que há (Pantokrator) e também o pai de Yeshua o Ungido; ‘Pai’ não é um título da primeira pessoa da Trindade, mas um sinônimo de D'us. . . .
“Na Nova Aliança não há nenhuma conscientização refletiva da natureza metafísica de D'us (‘trindade imanente’), nem contém a Nova Aliança a linguagem técnica da posterior doutrina (hupostasis, ousia, substantia, subsistentia, prosōpon, persona). . . . É incontestável que a doutrina não pode ser estabelecida apenas à base de evidências bíblicas.”
(The Encyclopedia of Religion)

“Há o reconhecimento da parte de exegetas e de teólogos da Bíblia, incluindo um número constantemente crescente de católicos romanos, de que não se deve falar de Trinitarismo na Nova Aliança sem sérias restrições. Há também o reconhecimento intimamente paralelo da parte de historiadores de dogma e de teólogos sistemáticos de que, quando se fala de um Trinitarismo irrestrito, passa-se do período das origens cristãs para, digamos, a última quarta parte do 4.° século. Foi somente então que aquilo que se pode chamar de dogma trinitarista definitivo, ‘um deus em três Pessoas’, se tornou cabalmente assimilado na vida e no pensamento cristão. . . . A fórmula em si não reflete a imediata consciência do período das origens; ela foi o produto de 3 séculos de desenvolvimento doutrinal.”
(New Catholic Encyclopedia)

“O cristianismo não destruiu o paganismo; ele o adotou. . . . Do Egito vieram as idéias de uma trindade divina.” (Will Durant, historiador)
“A trindade era uma das principais preocupações dos teólogos egípcios . . . Três deuses são combinados e tratados como se fossem um único ser, a quem se dirige no singular. Deste modo, a força espiritual da religião egípcia mostra ter um vínculo direto com a teologia cristã.” (Egyptian Religion)




“Se o paganismo foi conquistado pelo cristianismo, é igualmente verdade que o cristianismo foi corrompido pelo paganismo. O puro deísmo dos primeiros cristãos . . . foi mudado, pela Igreja de Roma, para o incompreensível dogma da trindade. Muitos dos dogmas pagãos, inventados pelos egípcios e idealizados por Platão, foram retidos como sendo dignos de crença.” (History of Christianity)

"[a Trindade] é a corrupção emprestada de religiões pagãs e enxertada na fé cristã”. (Dicionário do Conhecimento Religioso)“A doutrina da Trindade foi formada de maneira gradual e comparativamente tardia; . . . teve a sua origem numa fonte inteiramente estranha à das Escrituras Judaicas e Cristãs; . . . cresceu, e foi enxertada no cristianismo, pelas mãos de Pais platônicos.” (A Igreja dos Primeiros Três Séculos)

As trindades pelo mundo

Na Suméria 
Nimrod, Tammuz e Semirades




Na Índia
Brahma, Vishnu e Shiva




Uma de várias da Grécia
Zeus, Era e Cupído



Eita como Roma gosta de uma trindade hein?!?!?!


Júpiter, Minerva e Juno

Jesus, Maria e José




Nórdica
Odin, Thor e Frigga



Asteca
OmeteotlQuetzalcoatl e Ehecatl



Maia
Hunab-ku, kukulkan e Chiknawl

“Podemos traçar a história dessa doutrina e descobrir a sua origem, não na revelação cristã, mas sim na filosofia platônica . . . A Trindade não é uma doutrina do Ungido e de seus Emissários, mas sim uma ficção da escola de posteriores platonistas.” (A Statement of Reasons)


Fonte (http://vencedorespelaverdade.com/trindade/107-a-trindade-um-sincretismo-pagao), com algumas modificações

Um comentário:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós. Graça e Paz!!!