9.4.09

D'us se arrepende?

"Arrependeu-se D'us de haver feito o homem sobre a terra, e pesou-lhe em seu coração." (Bereshit 6:6)

"D'us não é homem, para que minta; e nem filho de homem, para que se arrependa; porventura, diria ele e não o faria? Ou falaria e não o confirmaria?" (Bamidbar 23:19)


          Estes dois versículos tem sido motivo para que aqueles que não creem ou que são fracos na fé, coloquem dúvidas na veracidade da Palavra de D'us.
          Muitas vezes pedindo entendimento ao Eterno sobre este assunto ou perguntando ao líder da minha congregação, não obtive uma respostas satisfatória. A todo momento uma certeza eu tinha, que se tratava de um erro de tradução, algo que se tornou comum desde a interferência romana no cristianismo. Então, em buscas de respostas obtive sucesso, o texto que segue a baixo:




O verbo “lehinachem” traduzido erroneamente


Quanto a D-us se arrepender, é evidente que um ser onisciente não se arrepende.




          Na Torah é usado o verbo "lehinachem (להנחם)" , que foi traduzido como "arrepender-se".

          No texto hebraico o verbo “lehinachem” está sendo usado no tempo futuro e no grau nifal “Inachem (ינחם), mas, como há o “Vav Conjuntivo (וינחם)”, o texto deve ser entendido como no tempo passado .

          O verbo "lehinachem(להנחם)" é o mesmo verbo "lenachem (לנחם)", só que no grau "nifal".

         O verbo “lenachem (consolar)” está no grau “piel” , onde o sujeito “faz a ação”, ou seja, “consola”.

          Na torah o mesmo verbo é usado no grau “nifal” , onde o sujeito da oração “sofre a ação”, ou seja, “é aquele que está sujeito a consolação”.

           A pessoa “sujeita a consolação” é a pessoa que está “sofrendo, pesarosa, triste, em lamento”.


Lenachem = consolar.

Lehinachem= estar sujeito à consolação, pesaroso, em sofrimento, em lamento;

Por que não se deve usar o verbo “Arrepender-se”?


          O verbo arrepender-se em hebraico é "Lehitcharet".

          Quem se arrepende é porque fez algo errado. E H' (Ha'Shem) fez algo errado?

          No Dicionário Aurélio Buarque de Holanda, diz:

          Arrepender-se: Sentir mágoa ou pesar por faltas ou erros cometidos;

          Veja que "Afligir-se, sofrer, lamentar" é diferente de "arrepender-se".

          Pois, podemos sentir "aflição" somente de vermos alguém em uma situação ruim.

          Mas, "arrependimento" , é um "pesar" que sentimos somente quando "erramos".

          E D-us não erra.


          E o que é "consolação" ?

          Segundo o dicionário Aurélio Buarque de Holanda, consolar:

          Consolar: Aliviar ou suavizar a aflição, o sofrimento, o padecimento de;


Entendendo o texto segundo o verbo “lehinachem”


          Lembremos de que não há palavras para expressar "sentimentos" de um ser como H' (Ha'Shem), então, é usada a linguagem antropomórfica para tentar fazer com que o homem entenda de alguma forma, uma pequena parcela do que seria esse sentimento de H' (Ha'Shem).


          Um dos textos mais utilizados para dizer que D-us se arrepender, está em Bereshit 6, que segue abaixo , traduzido diretamente do hebraico:
" E viu o Eterno que cresceu o mal do homem na terra, e toda a inclinação de seus pensamentos eram todos os dias somente o mal. E afligiu-se o Eterno por ter feito ao homem na terra, e entristeceu-se seu coração. (veja que até palavra coração é metafórica) E disse o Eterno, apagarei o homem que criei de sobre a face da terra, do homem ao animal, até aos rastejantes, até as aves dos céus, pois, sofro por tê-los feito." (Bereshit 6:5-7)


          H' (Ha'Shem) estabeleceu suas leis, e as deu aos homens para segui-las, todavia, sofre quando tem que aplicar seu castigo sobre eles.

          Assim como um pai amoroso sofre por ter que castigar ao seu filho.

         Mas, H' (Ha'Shem) não sabia que seria assim? Claro que sabia, até mesmo antes de acontecer.

         H' (Ha'Shem) não iria interferir nas decisões do homem, pois, lhe deu o livre arbítrio para decidir por sí só.

          O Eterno não interfere em tua escolha, ele te ensina o caminho no qual deve trilhar, mas, não te força a permanecer nele.

          Ele dá a sua lei para que a siga, mas, te adverte sobre as conseqüências de tua escolha caso não andares no caminho de H' (Ha'Shem).

          E quando tu trilhas o caminho errado, ele sente por isso.

          Outro exemplo desse mesmo verbo, está em Shofetim 21:6, que diz :
 "E arrependeram-se os filhos de Israel acerca de Benjamim, seu irmão, e disseram: Cortada é hoje de Israel uma tribo." (Juízes 21:6)


        Veja que a frase que traduz o verbo "lehinachem" como "arrepender-se" , fica totalmente sem sentido. Mas, vamos mudar para o sentido correto:
"E se lamentaram os filhos de Israel acerca de Benjamim, seu irmão, e disseram: Cortada é hoje de Israel uma tribo." (Juízes 21:6)

          Pois, ficaram pesarosos, tristes, lamentaram pelo corte de uma das tribos de Israel. Esse é o verdadeiro sentido. Eles fizeram algo de errado para que se arrependessem? Não estavam certos?

           Pois, quem se arrepende é porque fez coisa errada, e esses não fizeram o que era errado, apenas tiveram que aplicar a justiça.

           Eles fizeram o que era certo, mas, mesmo assim ficaram pesarosos por ter que aplicar o castigo a Benyamin seu irmão.

           Viu como o texto agora ficou coerente?

           Chaverim (amiguinho) , não tem como fazer hermenêutica sem os idiomas bíblicos.

           Veja que o "arrependimento" é algo intransferível, é pessoal.

          Não tem como você se arrepender no lugar de outra pessoa, pois , é um sentimento particular, pessoal e intransferível.
          Mas, você pode "sofrer, afligir-se, lamentar-se " por outra pessoa.

          Sofremos quando vemos a situação alheia.

          Não existe arrependimento que não seja particular.

Conclusão

          Pudemos ver que H’ (Ha'Shem) não se arrepende do que faz, pois, H’ (Ha'Shem) não erra, antes, sente muito por ter que aplicar seu castigo sobre sua criação.

          Vimos também que a tradução está errada, e quem aceita tal tradução, acaba afirmando uma contradição bíblica, sendo que tal contradição não existe.

          E percebemos novamente, que, hermenêutica sem os idiomas bíblicos não pode ser aplicada.


Shalom a todos!





Fonte: (http://yeshuachai.org/oldforum/viewtopic.php?f=2&t=2263)

7 comentários:

  1. Muito bem colocado, isso é um caso de antropopatia que significa colocar sentimentos humanos em DEUS, e temos de tomar cuidado com isso.

    Metanóia!

    ResponderExcluir
  2. Acredito mais que tenha sido um simples erro de tradução, nesse caso especifico. Mas, obrigado pela contribuição!!!

    ResponderExcluir
  3. Os mórmons quando fazem visitas levam um folha com as "contradições da bíblia". Esse "arrependimento" é uma da contradições que eles usam para ganhara confiança dos leigos.
    Parabéns pelo tema exposto.

    ResponderExcluir
  4. A paz querido.Peço perdão por não ter participado antes do seu blog,pois infelizmente só percebí o seu convite hj.Agradeço por participar do meu blog "fé racional"www.teismoracional.blogspot.com.br Seu estudo é muito importante,pois como disse o Erlon,alguns usam esse tipo de tradução para afirmarem as supostas contradições biblicas.Um grande abraço querido,fica com Deus.

    ResponderExcluir
  5. Concordo plenamente com erro de tradução, pois não só esse assunto abordado pelo postador, como existe muitos outros textos com erro de tradução, e a palavra, Antropomorfismo, acredito ser valido em alguns casos.
    Parabéns pelo texto Yeshua o Cristo

    ResponderExcluir
  6. Excelente texto, caro L. Gustavo. Expositivo e esclarecedor!!! Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  7. Meu esposo está fazendo seminário de teologia, e esta semana ajudei ele a fazer um resumo sobre a importância de estudar o grego e o hebraico para entender melhor as Escrituras, e esta mensagem só confirma o que nós havíamos aprendido.

    ResponderExcluir

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós. Graça e Paz!!!